Secretaria da Pessoa com Deficiência

Em atendimento à legislação eleitoral, os demais conteúdos deste site ficarão indisponíveis de 2 de julho de 2022 até o final da eleição estadual em São Paulo.

/governosp
Cidadão SP
Empoderamento da mulher com deficiência

Empoderamento da mulher com deficiência

Duas mulheres se cumprimentam batendo as mãos. Uma está sentada segurando uma prancheta, enquanto a outra, na cadeira de rodas sorri, em um fundo de escritório.
|Designed by Freepik|

A literatura nos mostra que, sobretudo, até o século XIX no mundo ocidental a história das pessoas com deficiência foi de exclusão e segregação com raras exceções. Com o avanço da medicina, ciência e legislação, de um modo geral, durante o século XX, muitas pessoas com deficiência conquistaram o direito ao estudo, trabalho e lazer. Atualmente, podemos dizer que boa parte desse público é economicamente ativo e participativo no crescimento de nosso País. Todavia, é necessário que lancemos nossos olhares para outras especificidades importantes no âmbito da deficiência, como por exemplo, o protagonismo da mulher.

A norte americana Helen Adams Keller (1880-1968) e a brasileira Dorina Gouvea Nowill (1919-2010) são dois grandes exemplos de mulheres com deficiência que superaram as barreiras imposta pela sociedade de suas épocas e deixaram um enorme legado às futuras gerações. Apesar da desigualdade de gênero ser uma realidade no Brasil, é fundamental que os governos desenvolvam e apoiem medidas e ações que garantam também às mulheres com deficiência seus direitos básicos. Neste caso, não estamos falando apenas em direitos ligados à educação, saúde, trabalho e lazer, mas também direitos ao matrimônio, maternidade, independência e autonomia.

Sabemos que adultos com deficiência, que tiveram seus direitos e limitações respeitados na infância e adolescência, hoje, participam da sociedade e exercem sua cidadania como qualquer pessoa. Quando olhamos para o público feminino, percebemos que muitas mulheres são mães de família, outras moram sozinhas e têm seus empregos e tornaram-se aquilo que decidiram ser, compreendendo que a deficiência limita, mas não impede.

Card em laranja do Coletivo Feminista Helen Keller, em cima o texto: Mulheres com Deficiência: Garantia de Direitos para Exercício da Cidadania. Abaixo, ilustrações de mulheres com deficiência.

Mulheres com deficiência: Garantia de Direitos para Exercício da Cidadania

Coletivo Feminista Helen Keller

/governosp
Cidadão SP
Skip to content